Conecte-se com a gente

Agência digital

Você sabe como a LGPD vai impactar o trabalho da sua agência?

Você sabe como a LGPD vai impactar o trabalho da sua agência?

Neste conteúdo você verá de maneira descomplicada o que é a Lei LGPD e como ela vai impactar no trabalho de uma agência de marketing digital.

Você também verá em quais pontos específicos uma agência precisa ficar atenta, quais são algumas das adequações necessárias e as penalidades envolvidas em caso de não cumprimento dessa lei.

Além de ficar ciente sobre até onde vai a responsabilidade de uma agência em relação a LGPD. Continue a leitura e confira!

O que é a LGPD?

LGPD é a sigla de Lei Geral de Proteção de Dados do Brasil, aprovada em agosto de 2018. Essa lei visa estabelecer regras sobre a captação, armazenamento, compartilhamento, e tratamento de dados pessoais, decretando proteção e penalidades para o não cumprimento.

O artigo 7 diz: “O Marco Civil da Internet diz que o acesso à internet é essencial ao exercício da cidadania, e garante ao usuário o direito à publicidade e à clareza de eventuais políticas de uso de organizações que fornecem serviços através da internet”.

Assim, a Lei LGPD também traz uma nova perspectiva sobre as Políticas de Privacidade, que são documentos explicativos e públicos sobre as medidas de proteção tomadas por determinadas empresas, neste caso, determinadas agências de marketing digital.

As Políticas de Privacidade visam mostrar e explicar para o público como a captação, armazenamento, tratamento e compartilhamento de seus dados será feita e utilizada seguindo as conformidades da Lei LGPD, cabe ao usuário fazer a leitura e confirmar que está de acordo.

Como ela vai impactar no trabalho da agência de marketing digital?

Primeiramente, é preciso estar ciente sobre como se preparar para a LGPD, para que só assim possa ser elaborado as Políticas de Privacidade, tanto para a agência, tanto para os clientes que a agência atende.

Não só elaborar o conteúdo das Políticas de Privacidade e configurar para que o público preencha com um clique sua confirmação de leitura, mas também colocar em prática tudo que a Lei LGPD e as Políticas de Privacidade descrevem.

Caso contrário, é possível que a agência de marketing digital sofra penalidades, assim como os clientes que atende também podem sofrer. A seguir falaremos mais detalhadamente sobre as práticas de adequação.

Mas, tenha ciência que praticar as formalidades da Lei LGPD é obrigatório para não sofrer penalidades graves, e até mesmo denúncias de seus concorrentes, além de seguir as leis poder servir como diferencial, já que muitas agências ainda não estão dando a devida importância. 

Então, utilizar a LGPD em discurso como um diferencial, também irá impactar no trabalho da agência de marketing digital, quando falamos em captação e retenção de clientes.

Quais são algumas das adequações necessárias da LGPD?

O primeiro passo é procurar ajuda de setores jurídicos e advogados, que possam auxiliar em todo o processo.

Agora, falaremos dos pontos específicos de algumas das adequações mais importantes que uma agência de marketing digital deve ficar atenta, são eles:

  • Primeiramente, entender o que a sua agência faz com os dados coletados, quais são todos os processos que os dados percorrem;
  • A partir daí, criar sua Política de Privacidade;
  • Possuir um checkbox de consentimento por parte do usuário (confirmação da leitura da Política de Privacidade);
  • Deixar a opção de desfazer o consentimento de forma clara e visível em quaisquer comunicações;
  • Não comprar contatos e seguidores;
  • Não enviar e-mails ou qualquer tipo de comunicação através de outros canais para quem não se cadastrou para recebê-los;
  • Não compartilhar listas de contatos sem o consentimento desses contatos;
  • Atualizar o consentimento dos contatos;
  • Rever e otimizar seu Procedimento Operacional Padrão;
  • Treinar todo o seu time, explicando o grau de importância da Lei LGPD, e os procedimentos envolvidos;
  • Contratar um software de gerenciamento de dados, gestão e automação para LGPD;
  • Mapear o uso de logins e senhas em todas as ferramentas utilizadas, atualizando termos de responsabilidade.

Um estudo da GPEN, publicado na Resultados Digitais, constatou que das Políticas de Privacidade, 85% falham em prestar informações adequadas sobre o uso de dados pessoais, 59% são de difícil compreensão, 1/3 coleta dados pessoais em excesso, e 43% tem uma interface inadequada (letras pequenas demais, ou textos longos demais, por exemplo).

Portanto, não basta apenas criar Políticas de Privacidade, estas devem ser bem formuladas. Contar com a ajuda de advogados também auxiliará você nesse processo.

Aproveite para assistir a nossa palestra gratuita, onde entrevistamos José Vitor Lopes, Advogado na Lopes & Philippi Advogados, sobre: LGPD no comércio eletrônico – Lidando com dados da recomendação até a entrega.

Até onde vai a responsabilidade da agência em relação a essa lei?

É função da agência criar sua própria Política de Privacidade, assim como verificar se os clientes a possuem e orientá-los (a responsabilidade de criação das políticas do negócio é dele), juntamente com a configuração adequada, analisando se existe a confirmação de leitura e a opção de desfazer o consentimento de forma clara e visível.

Geralmente a Política de Privacidade acompanha formulários de cadastros, seja em sites, landing pages ou gerações de cadastros através das redes sociais.

Também é de responsabilidade da agência não enviar comunicações através de quaisquer canais para pessoas que não se cadastraram para recebê-los, e deixar visível e claro a opção de descadastro.

Para verificar a situação acima, a dica é enviar informativos para a base de contatos atual, e confirmar se esses estão cientes do cadastro e se desejam continuar recebendo comunicações.

Já se o disparo das comunicações não é realizado e controlado pela agência, apenas a parte de criação, fica sob responsabilidade do cliente o envio e a verificação dos contatos, se estes estão cientes da Política de Privacidade da empresa e desejam continuar a “relação”.

Aproveite para ver como a Agência Adove deu seus primeiros passos para se adequar a Lei LGPD:

Penalidades envolvidas em caso de não cumprimento da LGPD

A penalidade principal do descumprimento da Lei LGPD pode resultar em multas de até R$ 50 milhões ou 2% do faturamento anual da agência. Então, vale a pena rever sua Política de Privacidade e a dos seus clientes.

Além de rever todos os itens que citamos acima sobre as principais adequações necessárias, a fim de não correr o risco de ser penalizado. 

E então?

Esperamos que com esse conteúdo você tenha conseguido compreender o que é a LGPD de fato, e como ela impacta no trabalho de uma agência de marketing digital.

Esperamos também que você tenha compreendido quais pontos específicos uma agência deve ficar atenta, quais são algumas das adequações necessárias e as penalidades envolvidas em caso de não cumprimento dessa lei.

Além, é claro, esperamos que tenha ficado perceptível até onde vai a responsabilidade de uma agência em relação a LGPD.

Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário.

Curtiu? Compartilhe conhecimento!

Não deixe de colocar essa página em seus Favoritos, para voltar sempre que precisar consultar sobre esse assunto.

Assine nossa newsletter semanal

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anúncio
Conectar
Assine nossa newsletter semanal